Sabia que este ano as despesas com veterinário vão dar maior “desconto” no IRS?

Os gastos com medicamentos para animais passam a dar direito a uma dedução em IRS superior ao ano passado, subindo de 22,5% para 35% do IVA suportado.

Cuidar bem do seu animal de estimação, prestar toda a assistência médica necessária, para além de não ser tarefa fácil, é, de alguma forma, um pouco dispendioso. E, até há bem pouco tempo, não era possível deduzir despesas com animais no IRS. Mas a pressão para que essa vontade se tornasse realidade foi grande e o projeto acabou por ser bem-sucedido, passando a ser contabilizada para efeitos de IRS.

Este ano, e considerando a entrega do IRS a decorrer até dia 30 de Julho, é importante saber algumas novidades, sobretudo para os donos de cães e gatos, pois, a partir deste ano, a fatia do IVA suportada na aquisição de gastos veterinários que pode ser deduzida à coleta do IRS subiu de 22,5% para 35 % (excluindo serviços de banhos, tosquias e compra rações).

A medida consta da nova proposta do Orçamento de Estado para 2022 (OE2022) entregue pelo Ministro das Finanças, que permite que os gastos com medicamentos destinados a animais deem direito a uma dedução em IRS superior ao ano passado, subindo de 22,5% para 35% do IVA suportado.

Assim, se as despesas suportadas com o seu patudo este ano foram em demasia, saiba que poderá deduzi-las e que o que vai receber poderá ser superior à coleta do ano anterior.

Para que tal aconteça lembre-se que será necessário a dedução por exigência de fatura, que permite deduzir até um máximo de 250 euros no IRS, por agregado familiar. Inclui, além dos custos com medicamentos veterinários, também o IVA das faturas de gastos com oficinas de automóveis e motociclos, alojamento e restauração, cabeleireiros e ginásios. Para os 250 euros concorrem, ainda, os valores do IVA dos passes sociais de transporte.

A partir de agora, sempre que levar o seu patudo ao veterinário, não se esqueça de pedir fatura.

Cuidar bem do seu animal de estimação, prestar toda a assistência médica necessária, para além de não ser tarefa fácil, é, de alguma forma, um pouco dispendioso. E, até há bem pouco tempo, não era possível deduzir despesas com animais no IRS. Mas a pressão para que essa vontade se tornasse realidade foi grande e o projeto acabou por ser bem-sucedido, passando a ser contabilizada para efeitos de IRS.