Cão Nosso - Pet Sitting icon open

Beagle

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

Ilustres e populares caçadores

A designação “Beagle” surgiu em Inglaterra, durante o século XIV, sendo empregue para identificar os cães de rasto e de pequena estatura. A etimologia desta palavra é controversa. Uns dizem que deriva da palavra francesa “begueule”, que significa “garganta aberta”, outros que deriva da palavra galesa “beag”, que significa “pequeno”, e outros ainda que deriva da palavra alemã “begele”, que significa “chamar a atenção”.

Algumas teorias sugerem que esta raça resultou do cruzamento entre o Harrier e antigos sabujos ingleses.

A pequena estatura destes cães impedia-os de acompanhar a caçada a cavalo, sendo transportados em selas para depois serem libertados no lugar certo. O seu uso regular para as caçadas a pé na Grã-Bretanha fez com que esta actividade ficasse conhecida como “beagling”. Uma característica particular da raça e muito apreciada pelos caçadores é o seu ladrar profundo que serve para dar o alerta ao caçador, fazendo-se a ouvir a grande distância.

Alguns governantes em Inglaterra, como a Rainha Elisabeth I, criaram Beagles com uma estatura muito pequena e que, por isso, ficaram conhecidos como “Beagles de bolso”. 

Tal como aconteceu com a maioria das raças europeias, as duas Grandes Guerras reduziram significativamente o seu número de exemplares. Contudo, a partir dos anos cinquenta do século passado, a sua popularidade cresceu significativamente, principalmente nos Estados Unidos da América.

temperamento

O cão dos 3 “As”: amigável, afectuoso e activo

De temperamento amigável e afectuoso, o Beagle é um cão sociável, alegre e bastante activo. Necessita de exercício diário, pois, caso não o tenha, virará a casa do avesso e importunará os vizinhos com a sua voz que, apesar de harmoniosa, tem um tom grave e sonante. Adapta-se muito bem a famílias activas com crianças, sendo muito tolerante com as brincadeiras dos mais novos.

Tendo sido criado para caçar em matilha, desenvolve facilmente uma boa relação com outros cães. Já no que respeita a animais mais pequenos é fundamental uma socialização desde cachorro, evitando que os instintos de caça falem mais alto.

Apesar de ter um baixo grau de dominância, o treino não é uma tarefa tão fácil como pode inicialmente parecer. Como sabujo (scenthound, como dizem os ingleses), perde-se facilmente pelo mundo dos cheiros e a seguir pistas, ignorando os comandos do dono. É muito importante não perder a paciência com a teimosia do Beagle, uma vez que isso poderá levar a uma degradação da relação entre o dono e o seu cão.

Nos passeios é preciso tomar atenção aos movimentos destes cães, uma vez que, de focinho colado ao chão, seguem um determinado cheiro sem pensarem em mais nada, o que os poderá colocar em situações perigosas.

saúde

Existe uma doença genética que continua presente em muitos exemplares desta raça, o MLS – Síndroma de Muladin-Leuke. Esta doença afecta os músculos dos cães, causando deformações em diferentes partes do corpo.

A epilepsia, as doenças cardíacas e os problemas oculares podem também afectar os Beagles.

Quanto às questões de higiene, para além da escovagem, é muito importante limpar cuidadosamente os seus ouvidos e orelhas, que, por serem pendentes, se arrastam no chão e facilmente acumulam sujidade, podendo levar ao aparecimento de otites.

Finalmente, interessa referir a tendência do Beagle para engordar, caso não faça exercício suficiente. O peso excessivo pode provocar problemas nas articulações e nas costas.

características

Curiosidades

A famosa personagem Snoopy, criada por Charles Schulz, é um Beagle.