Ansiedade De Separação No Cão

A Ansiedade de separação no cão foi tema de conversa com Jean Donaldson, numa altura em que tantos de nós regressam ao trabalho presencial após o isolamento resultante da pandemia de Covid-19.
Ansiedade de separação entrevista Jean Donaldson
A Ansiedade de separação no cão foi tema de conversa com Jean Donaldson, numa altura em que tantos de nós regressam ao trabalho presencial após o isolamento resultante da pandemia de Covid-19.

Jean Donaldson é norte-americana, é uma das maiores especialistas mundiais em comportamento e treino canino, e uma autora aclamada com vários livros publicados nesta área. O seu livro “Culture Clash” é leitura recomendada para todos os donos de cães ou profissionais de treino canino. 

O Cão Nosso falou com ela, nesta etapa de pós-pandemia, em que os horários de trabalho fora de casa parecem estar de regresso para perceber o que isso significa para os nossos cães. 

Quando o escritório deixa de ser a mesa lá de casa, o nosso companheiro de trabalho, que esteve connosco todos estes meses em casa, perde a sua companhia. Antes de mais, este é um processo que obriga à criação de novos hábitos e que pode gerar ansiedade de separação. 

Em Portugal, com a pandemia, muitos cães acostumaram-se a ficar o dia todo em casa com os seus donos. Actualmente, as pessoas estão de volta aos seus locais de trabalho e, consequentemente, muitos cães, principalmente os mais jovens, sofrem de ansiedade de separação.

Quais são as suas opiniões sobre isto?

Nós estamos a ter o mesmo problema. Talvez esteja a acontecer um pouco menos porque as pessoas aqui estão a revoltar-se por terem de voltar para o local de trabalho. Querem continuar a trabalhar em casa. Portanto, tem havido uma pressão muito grande sobre os empregadores, por parte dos trabalhadores, que dizem que conseguem fazer o trabalho a partir de casa e que, por isso, não querem voltar a trabalhar no escritório. Especialmente aqui, onde muitos dos trajectos de, e para o trabalho, são de 3 ou mais horas, o que é muito pouco produtivo. Mas, mesmo assim, há o problema de muitas pessoas terem arranjado um cão durante a pandemia e, agora, estes cães estarem habituados a tê-las sempre por perto. Está a acontecer uma espécie de pandemia de ansiedade de separação. Felizmente, mais do que nunca, esta ansiedade de separação pode ser tratada. Não é um tratamento fácil. 

Mas a ansiedade de separação no cão é tratável… 

É totalmente tratável. A ansiedade de separação é um problema muito difícil, e há bastante trabalho envolvido, mas há tratamento e com níveis de sucesso bastante altos. Há agora especialistas que podem trabalhar remotamente, portanto, qualquer pessoa que tenha um cão com ansiedade de separação não tem de desistir e pensar que não há nada que possa ser feito. Na verdade, há muito que pode ser feito. A primeira coisa a fazer é contactar um especialista em ansiedade de separação para acompanhar todo o tratamento, por forma a que o comportamento possa ser corrigido.

Este é um problema que pode demorar muito tempo a ser corrigido…

Sim, é um tratamento difícil, mas não impossível. Antigamente era muito mais difícil. Agora há métodos muito melhores, por isso pode ser feito.

Pois, existem programas específicos para resolver a ansiedade de separação.

Sim, exactamente. Por isso, as pessoas podem estar descansadas porque não é um problema impossível de ser resolvido. É possível! 

O que é a ansiedade de separação?

Podemos dizer que o cão sofre com ansiedade de separação quando: 

  • Fica nervoso, assustado e com medo devido à ausência do dono
  • Não deixa a porta de saída até que o dono regresse
  • Demonstra prostração e tristeza prolongada
  • Latidos insistentes, arranha a porta e chora

Se desejar saber mais sobre o caso específico de ansiedade de separação do seu cão, tem à sua disposição  o nosso serviço de Cãosultoria, uma consulta online onde podemos esclarecer e avaliar tudo o que o que preocupa no comportamento do seu patudo, para terem um dia a dia mais feliz em família. 

Como resolver a Ansiedade de Separação do cão?  

Para casos ligeiros de ansiedade canina em resultado da ausência do dono pode valer a pena testar antes estas ideias simples. 

  • Deixar um boneco de consolo. Ou seja, escolher um objeto de que o seu cão goste e  borrifá-lo com o seu perfume para que faça alguma companhia durante a ausência. 
  • Pode regressar de surpresa passados alguns minutos. Desta forma, o cão vai perceber que a ausência não vai ser sempre prolongada e, por isso, pode ser menos dolorosa.
  • Recompense o comportamento tranquilo. Para o conseguir, sempre que se ausentar e, ficando à espreita por via digital, perceba se o cão não ficou ansioso, regresse e recompense esse comportamento positivo. 

Nas nossas consultas de treino e comportamento encontra também sugestões valiosas para saber lidar com esta ansiedade nos cães. Ao mesmo tempo, vale a pena ficar com atenção aos horários de abertura dos novos cursos ou pode também  deixar já o seu contacto para receber a informação em primeira-mão.