A importância da coerência na educação do seu cão

Se quisermos que o cão responda sempre da mesma maneira numa determinada situação, deveremos pedir-lhe sempre o mesmo comportamento até ficar automatizado.

1- O cão aprende por repetição e pela consequência ou recompensa que obteve com um determinado comportamento

Quantas mais vezes uma situação se repetir da mesma maneira, melhor o cão aprenderá que deverá responder também da mesma forma. Alternância nas permissões irá confundir o cão e ele irá optar por aquela que lhe é mais conveniente. Como exemplo, temos uma não autorização para o cão subir para cima de um determinado sofá. Se esta não autorização falhar em alguma situação, ele irá entender que às vezes poderá subir para esse mesmo sofá e irá insistir sempre, pois, em algumas situações, isso foi permitido. Deverá ficar bem claro para o cão que existem locais onde não lhe é permitido estar, caso seja essa a vontade do tutor, uma vez que só assim ele irá respeitar essa mesma regra.

2- Se, numa mesma situação, as regras mudarem, o cão vai repetir o comportamento que para ele resultou na melhor recompensa

Vamos imaginar que existe a regra de não subir para o sofá, mas num determinado dia ele ladrou e insistiu tanto que lhe foi permitido subir para o sofá. Na mente do cão, o que ele associou foi, “se eu ladrar muito, consigo subir para o sofá”. Desta forma, ele irá repetir este mesmo comportamento até obter o que será uma recompensa positiva para ele, ou seja, deitar-se naquele lugar que ele tanto queria.

3- Os cães podem ser muito persistentes até obterem o que querem

Por vezes, os cães vencem pelo cansaço. No exemplo anterior, imaginemos um dia em que chega a casa cansado e sem paciência para treinar e disciplinar o seu cão. Ele ladra e ladra a pedir para subir para o sofá. Como está cansado e sem energia para lidar com a insistência dele, desiste e deixa-o subir. Resultado: o cão obtém o que queria. Desta forma, reforça um comportamento indesejado.

4- A falta de coerência nas regras torna a obediência do cão menos eficaz

Pegando num outro exemplo, imaginemos que gostaria que o seu cão só atravessasse a rua com uma ordem de comando determinada. Pedia um “senta” e quando fosse para avançar pedia o “junto”. Mas, noutro dia, atravessa a estrada a correr com o cão à trela porque está com pressa. Depois, num dia posterior, pára mas não lhe pede para sentar, deixando-o livre para fazer o que quer. Quando quiser que o cão responda sentando-se automaticamente numa passadeira, este irá ficar confuso, não sabendo se se deve sentar, correr ou ficar de pé, pois nessa mesma situação os comportamentos foram muito diferentes. Se quisermos que o cão responda sempre da mesma maneira numa determinada situação, deveremos, durante o processo de aprendizagem, pedir ao cão sempre o mesmo comportamento até ficar automatizado.

5- Se o cão souber o que o espera, a sua prontidão para oferecer o comportamento desejado será sempre mais provável

Imaginemos que dá de comer ao seu cão sempre no mesmo local e à mesma hora. Mas antes de comer pede-lhe para se deitar num determinado local e aguardar pacientemente enquanto prepara a sua comida. Sempre que o cão sai desse respectivo lugar, pára de arranjar a comida, vira costas e vai-se embora. Se ele se mantiver sempre no mesmo lugar deitado como lhe pediu, continua a arranjar a comida dele até ao momento em que o liberta dessa posição para comer. Ao repetir este comportamento todos os dias será mais provável que o cão vá para esse local e se deite quando se aproximar a hora de comer, mesmo que não lhe peça, uma vez que a vontade dele é comer, ou seja, ter a sua recompensa positiva.