Cão Nosso - Pet Sitting Lupa icon open

Pastor Belga Tervuren

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

O pastor cervejeiro

No final do século XIX, existiam na Bélgica um grande número de cães pastor que tinham diferentes tipos de pelagem. Para estudarem estes cães e procurarem definir padrões, um conjunto de criadores organizou-se e, sob a orientação do prestigiado professor da Escola de Medicina Veterinária de Cureghem, Adolphe Reul, pôs “mãos à obra”.

Foi então que se começou a identificar as características e as qualidades de cada tipo de cão pastor. Em 1891, foi fundado, em Bruxelas, o Club du Chien de Berger Belge. Adolphe Reul, a personalidade mais importante deste clube, organizou um encontro que ficou para a História, onde foram reunidos 117 cães pastor com o intuito de serem seleccionados os melhores exemplares.

No seguimento deste encontro, foi iniciado um programa estruturado de selecção, onde foram feitos cruzamentos dentro da mesma linhagem (inbreeding), o que significa que o número de reprodutores foi relativamente escasso.

Em 1892, foi feito o primeiro estalão do Pastor Belga, encerrando-o numa única raça com três variedades de pelagem. Considerou-se que a variedade de pêlo longo deveria ser preta, o que prejudicou o desenvolvimento do Tervueren.

Este, como o nome indica, foi criado na vila de Tervuren, através de um cruzamento feito por um cervejeiro, chamado Corbeel, que cruzou dois cães pastor de pelagem vermelha (Tom e Poes), dando origem a uma cadela chamada Miss Tervuren.  Por sua vez, esta cadela foi adquirida por um senhor abastado conhecido como Monsieur Danhieux, que a cruzou com o famoso Duc de Groenendael, um exemplar de excelência de Groenendael. Deste cruzamento, nasce um cão fulvo chamado Milsart, considerado o primeiro exemplar da raça.   

Uma vez que os Pastores Belgas, em qualquer uma das suas variedades, eram detidos por pessoas comuns, grande parte das quais trabalhadoras agrícolas e que os utilizavam como cães de trabalho, foi difícil estabelecer no terreno um estalão padronizado.

Estas dificuldades levaram a que, apenas em 1901, fossem registados os primeiros Pastores Belgas no livro de registos da Société Royale Saint-Hubert (Belgian Kennel Club). Contudo, houve uma forte polémica em torno da unificação da raça, não por questões temperamentais, mas por questões estéticas relacionadas com a cor da pelagem. Na verdade, todos os pastores belgas têm um temperamento semelhante, especialmente o Groenendael e o Tervuren.

Como aconteceu com a grande maioria das raças, as duas Grandes Guerras do século XX tiveram um impacto muito negativo no número de exemplares de Tervuren. Este impacto fez-se sentir de tal forma na Primeira Guerra Mundial que o Tervuren esteve muito perto da extinção, chegando, mesmo, a haver um momento em que existiam pouco mais de vinte exemplares. Foi durante este período critico que a Société Royale Saint-Hubert, que até então apenas reconhecia a coloração preta, passou a reconhecer a coloração do Tervuren, tentando, assim, impedir o seu desaparecimento.

Actualmente, existem quatro raças (ou, para alguns, variedades da mesma raça) de Pastor Belga: Groenendael, a mais conhecida e que possui pêlo comprido e totalmente preto; Malinois, a segunda mais conhecida e que possui o pêlo mais curto; Tervuren, a que falamos neste texto e que se diferencia pelo seu pêlo comprido com diferentes tons; e, finalmente, Laekenois, a menos conhecida e que possui pêlo de arame. Todas estas raças foram baptizadas com os nomes das localidades de onde são originárias.

Alguns dos clubes de canicultura que consideram os quatro pastores belgas como raças autónomas são: o American Kennel Club (AKC), o Australian National Kennel Council (ANKC) ou o  New Zealand Kennel Club. Por outro lado, alguns dos clubes que consideram os quatro pastores belgas como diferentes variedades da mesma raça são: o Canadian Kennel Club, o Kennel Union of Southern Africa ou a grande federação internacional, que reúne diversos clubes de diferentes países - Fédération Cynologique Internationale (FCI).

Os pastores belgas, pela sua morfologia, temperamento e inteligência, destacam-se nas provas de agility, obediência, flyball, schutzhund ou de pastoreio. Para além disso, são utilizados por inúmeras forças policiais para várias finalidades, nomeadamente para trabalharem como cães de detecção de drogas, onde actuam na fronteira belga e de muitos outros países. O seu olfacto apuradíssimo e a sua grande capacidade de concentração fazem com que sejam bastante considerados para esta missão.

A popularidade do Tervuren teve um crescimento interessante durante os anos oitenta e noventa do século XX.

temperamento

O leal companheiro flamengo

Com um nível de energia muito elevado, o Tervuren é um cão inteligente e feito para o trabalho, precisando de se sentir ocupado. Como cão pastor, tem as qualidades inatas de um cão de guarda, protegendo a sua família e propriedade com todo o afinco.

Para além das suas funções originais de pastoreio, destaca-se em várias provas desportivas, designadamente obedience, agility ou flyball. A sua aptidão para o trabalho permite-lhe trabalhar em equipas de resgate e salvamento, ajudando, por exemplo, a encontrar pessoas soterradas por avalanches. Este espírito trabalhador e de missão faz com que necessite da atenção do dono e de ser muito estimulado física e psicologicamente, caso contrário tornar-se-á ansioso e destrutivo.

O temperamento alerta, destemido e confiante do Tervuren fazem dele um cão com uma enorme margem de aprendizagem, mas também um cão que pode demonstrar alguma hostilidade relativamente a pessoas e cães fora do seu círculo familiar. Por esta razão, é imprescindível apostar numa socialização desde tenra idade, para que aprenda a relacionar-se de forma positiva com os cães e pessoas que lhe sejam apresentados.

Há semelhança do que acontece com os outros pastores belgas, o Tervuren é um cão de um só dono, a quem procura permanentemente agradar. Por esta razão, a presença assídua do dono é fundamental para o seu bem-estar, não lidando bem com a solidão. Isto não significa que não crie laços fortes com os outros membros da família, antes pelo contrário. O Tervuren mostra-se sempre afectuoso e leal para com toda a família.

Importa salientar que o dono de um pastor belga tem de ser confiante, tranquilo e assertivo para que consiga lidar da melhor maneira com um cão que necessita de muito estímulo físico e mental. Assim sendo, o pastor belga não é a melhor opção para um dono inexperiente.

saúde

O Tervuren, à imagem dos restantes pastores belgas, é uma raça genericamente saudável. Ainda assim, existem quatro problemas que poderão surgir.

O primeiro é a displasia da anca, que se caracteriza por uma patologia hereditária que afecta a articulação coxofemoral, levando a uma degeneração gradual da capacidade motora.

O segundo é a epilepsia, doença provocada por alterações na actividade do sistema nervoso central que levam ao surgimento de convulsões.

O terceiro problema relaciona-se com anomalias no sistema gástrico, designadamente a torção do estômago, que acontece quando o estômago se torce sobre si mesmo, formando um nó. Esta é uma situação que causa muita dor e que necessita de um atendimento veterinário urgente, sob pena de o animal morrer. Tanto a displasia da anca, como a torção do estômago, são problemas que afectam principalmente raças de grande porte.

Finalmente, o quarto problema é a atrofia progressiva da retina.  Trata-se de uma doença que leva a uma perda da visão originada pela degeneração da retina.

Quanto aos cuidados com a pelagem, deve ser feita uma escovagem regular para remover os pêlos soltos e manter o pêlo limpo. Nas alturas de mudança de pêlo, a escovagem deve ser feita diariamente.

Para a saúde e o bem-estar do Tervuren é fundamental a prática regular de exercício físico, uma vez que, como foi explicado anteriormente, esta raça foi desenvolvida para o trabalho e, por consequência, necessita de muito estímulo.

características

Curiosidades

A industrialização reduziu a importância do papel dos cães pastor, mas o Tervuren mantém as suas aptidões de pastoreio. A prova disso é que o primeiro campeão dos campeonatos de pastoreio organizados pelo AKC foi precisamente um Tervuren.