Cão Nosso - Pet Sitting icon open

Boxer

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

O pugilista alemão

Existem duas teorias sobre a origem do nome desta raça: uma assenta nas semelhanças que o Boxer tem com um pugilista que, tanto em inglês como em alemão, se diz “boxer”, uma vez que a forma como este cão investe contra as presas, apoiando-se nas patas traseiras e gesticulando energicamente as patas dianteiras, faz lembrar os movimentos de mãos de um lutador de boxe; a outra teoria defende que o nome desta raça deriva da palavra germânica “boxl”, usada para designar os cães que trabalhavam em matadouros.

O Boxer descende da extinta raça alemã Bullenbeisser, também conhecida como Bulldog Alemão, usada na caça ao javali e ao veado na Alemanha e na Holanda. Graças ao seu focinho recuado, esta raça conseguia respirar ao mesmo tempo que segurava a presa pelos dentes, esperando que o caçador chegasse.

Ao longo do tempo, o Boxer foi assumindo diferentes funções para além das originais (cão de guarda e de caça), desde cão pastor a artista de circo, passando pelo Bull-baiting (luta entre cães e touros). 

A criação de Boxers foi atenuando gradualmente a sua agressividade, tornando-a numa raça cada vez mais apreciada como animal de companhia.

temperamento

Sempre pronto para a brincadeira

O companheirismo, a lealdade, a vontade de agradar e o carinho pelas crianças tornam o Boxer numa excelente raça para viver com uma família. Adora estar perto dos seus donos e brincar com eles, nomeadamente com as crianças, com quem se mostra excepcionalmente paciente.

Esta raça tem um amadurecimento tardio, que ocorre geralmente entre os 2 e os 2 anos e meio. Assim sendo, tem um comportamento de cachorro durante mais tempo que a maioria dos cães.

Apesar de ser bastante teimoso, é relativamente fácil de treinar em termos de obediência. Dá-se bem com animais pequenos e até com gatos, se for habituado a conviver com eles desde pequeno. No entanto, com cães do mesmo tamanho ou maiores poderá revelar alguma agressividade, principalmente se forem do mesmo sexo.

A sua capacidade para estar alerta, desconfiança perante presenças estranhas e coragem para defender o seu lar e a sua família fazem do Boxer um bom cão de guarda. No entanto, para que se torne num cão sociável com pessoas fora do contexto familiar e com outros cães, é muito importante apostar numa socialização desde cachorro.

É fundamental proporcionar-lhe bastante exercício físico para que se mantenha saudável e tranquilo dentro de casa.

 

saúde

O Boxer não se dá bem com temperaturas excessivamente baixas ou altas, sendo que a adaptação a climas frios é ainda mais complicada.

A partir dos oito anos, muitos exemplares desta raça são afectados por tumores, alergias e alguns problemas cardíacos. A torção do estômago, a displasia da anca e os problemas oculares podem também verificar-se.

Os cuidados com a pelagem são poucos, bastando uma escovagem regular para remover o muito pêlo que o Boxer larga durante todo o ano.

características

Curiosidades

Existe uma grande polémica sobre os Boxers totalmente, ou quase totalmente, brancos. Estes, mesmo sendo filhos de pais com pedigree, não são aceites como exemplares da raça, havendo quem os qualifique como albinos, qualificação que é incorrecta, uma vez que estes exemplares têm pigmentação.