A nossa equipa

Bruno Loureiro

Desde que me lembro, sempre disse, na brincadeira, que “gosto mais de cães do que de pessoas!” Mas gosto ainda mais de pessoas que partilham as suas vidas com estes animais de companhia, oferecendo-lhes alegria e uma forma de amor incondicional, que só existe nesta relação pura de afeto e companheirismo. Há um elemento no olhar dos animais que em nós confiam as suas vidas, um elemento de esperança e de segurança perante a fragilidade da vida, uma alegria muda que partilham comigo. Foi a paixão pelos restantes seres vivos e pela Natureza que me colocou neste caminho. 

Aventurei-me, formando-me em Gestão do Ambiente; mais tarde, formei-me em Auxiliar de Veterinária. O meu percurso tem sido marcado pelo inesperado, repleto de desafios; fui ultrapassando obstáculos e vivendo aventuras, mas nenhuma delas me preencheu. 

Foi no Cão Nosso que me pude aventurar a fazer o que realmente gosto: cuidar de animais de companhia. É com carinho, sabedoria e profissionalismo que cuido das suas companhias preferidas – que são também as minhas.

Equipa Cão Nosso

Madalena Campelo

Quando entrei para o Cão Nosso não sabia que estava prestes a começar a melhor fase da minha vida profissional.

Aqui consigo juntar as minhas duas paixões, a condução e os animais.

Já vivi muitas aventuras e sei que tenho ainda muito mais para viver.

É um trabalho super desafiante, motivador e, claro, na companhia dos nossos melhores amigos não poderia ser melhor.

Adoro o Cão Nosso, adoro a nossa equipa!

Vanda Mendonça

Sempre fui uma apaixonada por animais em geral e desde pequena sempre tive cães e gatos. A dado momento da minha vida resolvi dedicar algum do meu tempo a fazer voluntariado e escolhi a UPPA, uma associação que alberga animais abandonados até arranjarem uma família, o que aumentou ainda mais a minha paixão por estes animais.

Foi nesta altura que conheci o Cão Nosso, uma vez que existe uma parceria entre ambos. Vim conhecer a Quinta e fiquei maravilhada com o ambiente, com o espaço e com a liberdade que os cães tinham, ou seja, uma realidade totalmente diferente daquilo que vivia no albergue.

Com uma formação numa área completamente oposta a esta, e após 20 anos de uma carreira na área financeira, senti que precisava de mudar de vida. Queria dedicar-me mais ao voluntariado, coisa que o meu emprego não me permitia.
Despedi-me e 2 meses depois surgiu uma vaga no Cão Nosso.

Quando aqui cheguei senti-me em casa, identifiquei-me imediatamente com o projeto. Quero fazer parte dele, quero contribuir todos os dias para que possamos aumentar esta família e prestar os melhores serviços a estes patudos maravilhosos e aos donos.

Adoro estes miúdos como se fossem meus e cuido deles exactamente dessa forma, com amor e carinho. Além disso, a cereja no topo do bolo é o desenvolvimento de amizades junto da equipa, bem como de clientes. Resumindo, sou uma sortuda!
Como costumo colocar nas publicações que faço nas redes sociais: “Faz o que te faz feliz”.

Melissa Pinheiro

Desde pequena que sinto uma ligação forte com animais. Talvez se prenda com o facto de os ter tido sempre presentes na minha vida, e como tal acabaram por se tornar numa paixão, fazendo com que tivesse cada vez mais interesse em procurar trabalho numa área que me desse possibilidade de estar com eles.

Tive a oportunidade de me juntar ao Cão Nosso e posso dizer que foi uma das melhores decisões que tomei.

Sinto-me muito realizada por poder passar os dias com os patudos e também por aprender imenso com eles, observando os seus comportamentos e a maneira como lidam uns com os outros.

Acredito que dessa forma, nós humanos, tenhamos muito a aprender com eles.

Teresa Pelágio

Desde pequenina que adoro animais, mais especificamente, cães. A minha primeira paixão foi a Smile, uma labradora preta!

Em 2013, juntei a minha paixão ao meu dia a dia: trabalhar com cães. A minha família tem uma creche para cães nos EUA, Colorado (Aurora), onde trabalhei durante 7 anos.

De volta a Portugal quis continuar neste caminho e comecei a trabalhar para o Cão Nosso. O que me dá mais alegria neste mundo é ver os nossos amigos de 4 patas a aproveitarem o seu dia, com espaço para brincarem, correrem e serem cães!
Embora esteja na parte administrativa do Cão Nosso, tenho acesso a esta alegria que, para mim, é a melhor sensação do Mundo!

Débora Ferreira

Sou a Débora, apaixonada pela vida, por artes marciais, música, gastronomia… e desde que me lembro senti uma ligação com os animais.

Já em pequena, o que queria ser quando fosse crescida era veterinária… um sonho que acabou por não se realizar quando me debati pela primeira vez com uma perda. A perda do meu primeiro cão.

Na verdade, à medida que fui terminando os estudos, não havia nenhuma área com a qual me identificasse. O que eu sabia é que queria ajudar de alguma forma. Decidi concorrer ao Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, onde não entrei por nove milésimos de segundo.

Comecei a trabalhar em restauração e, entretanto, a nossa família de patudos cresceu com o resgate da nossa cadela Daisy.

A chegada da Daisy inicialmente trouxe inúmeras dificuldades em termos comportamentais, algo que eu nunca tinha passado. Foi quando decidi tirar formações de treino de cães e de comportamento animal. Apaixonei-me pelo treino! Cada vez que aprendia mais e colocava em prática os meus conhecimentos, mais formações queria tirar.

A minha entrada neste mundo surgiu muito pela necessidade de ajudar a minha cadela. Por ela sou grata, e por aqueles nove milésimos de segundo pois, se não fossem eles, a minha vida não seria como é agora.

Os animais amam sem condições, sem julgamentos. É o amor mais puro e genuíno.

Trabalhar no Cão Nosso é como chegar a casa e ser recebida com amor…. e que continue sempre assim!

Sara Crespo

Desde pequena que a minha paixão pelos animais não tem explicação. Nunca soube expressar este meu sentimento, mas sei cuidar deles como se fossem tudo para mim.

É inexplicável como conseguimos aprender tanto com os animais, que não falam nem se expressam como nós, mas amam, agradecem e valorizam tão ou mais do que nós.
Decidi, após acabar o secundário, que iria amar o meu trabalho se fosse passado perto deles que tanto nos ensinam. Tudo é tão melhor perto destes animais de companhia que, sendo ou não nossos, tratamos de igual forma.

Hoje sinto-me realizada, feliz com o que faço, pois sonhei com isto desde pequena.

É com grande orgulho que faço parte desta equipa que me permite a realização de um sonho.