Cão Nosso - Pet Sitting icon open

Tudo sobre Cães

02.02.2019

Porque é que o meu cão come cocó?

Tópicos: Saúde
Por mais que se debata e que se procurem evidências científicas sobre esta matéria, ninguém pode afirmar com toda a segurança o que leva um cão a ingerir as suas ou as fezes de outros animais.

O nome técnico para o comportamento de ingerir as próprias fezes ou as de outros animais é coprofagia. Considerado um comportamento atípico (e até nojento) aos nossos olhos, a verdade é que é muito comum entre os cães, podendo trazer um conjunto de riscos para a sua saúde – para além de nos deixar envergonhados quando o nosso cão o faz na rua e ao lado está o nosso vizinho!

 

Por mais que se debata e que se procurem evidências científicas sobre esta matéria, ninguém pode afirmar com toda a segurança o que leva um cão a ingerir as suas ou as fezes de outros animais. Ainda assim, existe um certo consenso sobre algumas razões que poderão levar a este comportamento.

A ausência de cuidados básicos, como a falta de higiene no lugar onde vive ou a não satisfação das necessidades alimentares, podem levar à coprofagia. Contudo, este comportamento estende-se a cães a quem são dadas todas as condições de vida. Nestes casos, é mais difícil descobrir a razão mas questões relacionadas com o stress, com o tédio, com a necessidade de chamar a atenção, com a procura de obter dados do animal que defecou e com um comportamento de imitação podem muito bem estar por detrás do acto de ingerir fezes. Outra razão possível passa por evitar castigos, uma vez que podem associar o cocó a uma reacção negativa por parte dos seus donos no momento em que o vêem. 

Problemas de saúde, relacionados com uma deficiência nutricional, parasitas, diabetes, distúrbios gastrointestinais, pancreatite, entre outros, podem igualmente levar à coprofagia.

Muitas vezes, os cães têm uma preferência por fezes de gatos, provavelmente devido ao facto de terem mais proteína e fibra, bem como por terem uma textura diferente e potencialmente mais apelativa.

 

COMO EVITAR QUE O MEU CÃO COMA COCÓ?

Assim como não se sabe ao certo o que leva um cão a comer cocó, também não existe uma solução milagrosa para evitar que o faça. Ainda assim, existem algumas coisas que podemos fazer para diminuir a probabilidade do nosso melhor amigo ingerir fezes, a começar logo por uma dieta saudável, eventualmente com suplementos alimentares (caso o veterinário concorde), e pela prática de exercício físico e mental.

Escusado será dizer, uma vez que é uma questão de bom senso, que manter limpa a zona onde o cão vive e usar trela nos espaços públicos diminui a probabilidade da ingestão de fezes. Se, durante um passeio, virmos que o nosso cão se prepara para comer cocó, devemos antecipar esse comportamento, chamando a sua atenção para outra coisa, como, por exemplo, um brinquedo que tenhamos connosco ou um pau que apanhemos na rua.

Eventualmente, misturar alimentos ricos em fibras na ração, como abacaxi ou abóbora, pode reduzir a apetência do cão para comer fezes.

QUAIS OS RISCOS ENVOLVIDOS NA INGESTÃO DE FEZES?

A ingestão de cocó pelo seu cão pode levar ao aparecimento de vírus, de infecções e à transmissão de doenças, como a parvovirose e, no caso de serem fezes de gato, a toxoplasmose.

Naturalmente, a perigosidade da ingestão de fezes está directamente relacionada com a saúde do animal de que originam. Sendo assim, devemos estar sempre muito atentos durante os passeios, pois não sabemos que cães passaram por ali e se são, ou não, saudáveis.