13 de Agosto, 2021

Desparasitação externa e interna de cães e gatos

O nosso clima fantástico é muito simpático para moscas, mosquitos, pulgas e carraças, todos eles parasitas perigosos para os nossos animais.

Há alguns anos, recebi um mail de Singapura. Uma senhora iria trazer os seus dois cães para Portugal e queria prevenir todas as doenças parasitárias comuns no nosso país. A minha longa lista foi recebida com espanto. Aparentemente, as parasitoses em Portugal eram mais assustadoras do que na Ásia. Muitas das doenças parasitárias que listei eram zoonoses e são transmissíveis ao Homem, provocando efeitos graves na sua saúde.

Ouço frequentemente: “Há um desparasitante novo que protege contra tudo, não há?” Se houvesse um só medicamento para todos estes males, estaríamos radiantes, mas não. Há no mercado produtos de largo espectro que oferecem simultaneamente protecção contra parasitas externos e internos, mas nem todos garantem uma protecção completa relativamente a todos os parasitas.

Parasitas Externos

O nosso clima fantástico é muito simpático para moscas, mosquitos, pulgas e carraças, que, ao picarem os animais, podem passar parasitas para a corrente sanguínea, transmitindo doenças graves e potencialmente fatais como a febre da carraça, a leishmaniose e a dirofilariose.

As pulgas são particularmente diabólicas: além de transmitirem hemoparasitas pela picada, também transportam ovos de alguns parasitas intestinais que, ao serem ingeridos pelo animal quando este se lava, podem fixar-se no sistema digestivo, evoluindo mais tarde para ténias.

Parasitas Internos

A maior parte dos parasitas internos são transmitidos aos animais pelo contacto com ambientes contaminados: pela ingestão de ovos ou larvas de parasitas presentes no pêlo, no solo, em ervas, nas fezes de animais, na carne crua e em roedores. Sabem aqueles cães amorosos que dão lambidelas carinhosas às criancinhas? Já não parecem tão carinhosos pois não?

Como escolher um desparasitante?

Eu recomendaria uma atenção especial na escolha dos desparasitantes, há uma variedade enorme: pipetas spot-on, pastas, comprimidos, coleiras, tratamentos injectáveis. O plano de desparasitação de um animal de apartamento será muito diferente do de um animal de quinta, uma vez que todos precisam de uma desparasitação feita à medida. Para tal, é importante perceber:

– o espectro de acção: o termo espectro não significa espectro omnipotente; para animais de exterior, pode ser preferível optar por dois produtos (externo e interno) mais completos do que um só mais incompleto

– período de actuação: alguns desparasitantes externos prevêm uma duração de efeito diferente para parasitas diferentes, no fundo, o mesmo produto anti-pulgas, carraças e mosquitos pode ser recomendado para uso anual contra determinado parasita e uso semestral contra outro.

Desparasitante interno: prevenção vs. tratamento

Um erro de percepção comum é assumir que, ao darmos um desparasitante interno ao nosso cão ou gato, ele ficará protegido até à proxima desparasitação. A desparasitação interna trata infestações parasitárias que possam existir no momento, mas não previne infestações futuras.

Desparasitante externo: repelente vs. insecticida

Os produtos insecticidas e acaricidas podem ter um efeito de tratamento contra infecções instaladas, matando as pulgas e carraças presentes no pêlo, e/ou um efeito repelente (anti-alimentação) que previne infectações futuras. Num cão com repelente pode haver alguma carraça ou mosquito mais atrevido que consiga picar o animal. Num cão com um insecticida de tratamento, os bicharocos precisam de se fixar para se alimentar. Por conseguinte, o risco de transmissão de doenças nestes casos não pode ser excluído. Para animais com acesso regular ao exterior, eu recomendaria o uso de dois produtos: um repelente e outro de tratamento.  

Check-list

Desparasitação interna: a cada três meses com um medicamento de largo espectro

Desparasitação externa (pulgas, carraças, moscas e mosquitos): mensal, trimestral, ou semestral, dependendo do produto escolhido e do espectro de acção

Dirofilariose: comprimido mensal ou injecção anual, e pipeta ou coleira repelente de moscas

Leishmaniose: pipeta mensal com acção contra mosquitos, ou coleira semestral de permetrinas

Peça ajuda ao seu veterinário para escolher um produto adequado ao estilo de vida do seu animal de estimação e à sua zona de residência.