icon openMenu
Cão Nosso - Pet Sitting

Scottish Terrier

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

Da Escócia para o mundo 

O Scottish Terrier descende, muito provavelmente, dos cães das ilhas escocesas ocidentais, criados de forma selectiva em Aberdeen, durante o século XIX. Partilha o mesmo passado dos outros terriers escoseses, designadamente do Skye Terrier, do Cairna Terrier e do West Highland White Terrier. Estes cães foram, até ao final do século XIX, considerados como uma só raça, conhecida como Aberdeen Terrier, cuja tarefa consistia em caçar roedores.

No ano de 1879, o Scottish foi apresentado pela primeira vez como raça independente numa exposição canina. Para o seu apuramento muito contribuiu a criação do Capitão Gordon Murray. 

Rapidamente, o Scottie, como lhe chamam os seus apaixonados, alcançou uma grande popularidade, tornando-se no cão de alguns presidentes norte-americanos, nomeadamente de Theodore Roosevelt (1901-1909), de Franklin Delano Roosevelt (1933-1945), de Ronald Reagan (1981-1989) e de George Bush (2001-2009), bem como de algumas estrelas de Hollywood, como Humphrey Bogart, Bette Davis, Julie Andrews ou Liza Minnelli. Mas antes de todas as personalidades aqui elencadas, a Rainha Vitória do Reino Unido (1819-1901), célebre amante e criadora de cães, havia já descoberto as virtudes desta raça. 

O Scottie tem sido sempre mais popular na América do Norte do que na própria Grã-Bretanha. 

temperamento

O destemido e devoto companheiro

Este terrier foi, em tempos, conhecido como “diehard”, cuja tradução será uma mistura entre obstinado e destemido. A personalidade forte do Scottish Terrier, que representa bem a dos terriers em geral, pode, por um lado, tornar o treino mais difícil, e, por outro, torná-lo pouco sociável com outros cães. 

Mas os exemplares desta raça são também conhecidos por serem calmos e extremamente devotos ao seu dono, constituindo excelentes cães de apartamento. Uma vez que têm muita energia e que gostam de ser desafiados, é fundamental que pratiquem exercício físico e que participem em jogos que os estimulem mentalmente. 

saúde

Apesar de ser uma raça muito resistente, tem uma certa predisposição genética para algumas doenças. A Paralisia do Scottish é dos problemas hereditários mais comuns destes cães, aparecendo nas alturas em que são submetidos a esforços excessivos, paralisando os seus músculos e podendo afectar a sua coluna cervical. 

A doença de V. Williebrand, uma deficiência ao nível da coagulação sanguínea, o hipotiroidismo, caracterizado pela baixa produção de hormônios da tiróide, levando à perda anormal de pêlos, a alergias, à fadiga e, até, à infertilidade, a epilepsia e, finalmente, a Osteopatia Craniomandibular (CMO), anomalia genética caracterizada pelo crescimento anormal dos ossos da mandíbula, são os outros problemas hereditários que mais afectam a raça.

Os cuidados com a pelagem do Scottie são elevados, precisando de ser escovado regularmente para remover os pêlos mortos e de ser tosquiado quase todos os meses.

características

Curiosidades

A marca escocesa de whisky Black & White tem um Scottish Terrier (e um  West Highland White Terrier) no rótulo, o que mostra bem a ligação do Scottie à sua região.

partilhar
partilhar