icon openMenu
Cão Nosso - Pet Sitting

Podengo Português

TRÊS VARIEDADES

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

Uma raça que antecede a sua própria nacionalidade

A raça portuguesa mais antiga é também uma das raças mais antigas do mundo. O Pharaoh Hound, o mais conhecido e popular descendente do Galgo Egípcio (o cão dos faraós), é um dos principais ascendentes do Podengo Português. No século VIII a.C., os mercadores fenícios que nesta altura se espalharam por todo o Mediterrâneo, trouxeram o Pharaoh Hound para o sul da Europa. Mais tarde, com as invasões árabes na Península Ibérica, iniciadas no século VIII, o Pharaoh Hound que evoluiu de forma autónoma neste território foi cruzado com outros cães, também eles, muito provavelmente, descendentes do Pharaoh Hound original, dando origem a uma raça que seria já muito semelhante ao Podengo que hoje conhecemos.

Na época da reconquista cristã, no ano de 1199, sob o reinado de D. Sancho I, é feita a primeira referência escrita conhecida aos “cães caçadores de coelhos”, ou seja aos Podengos Portugueses. Desde então, vários documentos escritos relatam o uso de Podengos nas caçadas reais, embora seja importante salientar que a sua popularidade se deve à plebe, que também recorreu às suas habilidades para a caça. Esta intervenção plebeia contribuiu para o desenvolvimento de diferentes variedades de pêlo e tamanho do Podengo: liso; cerdoso; pequeno; médio; e grande.

As variedades de pêlo foram ditadas pelo tipo de clima, sendo que a de pêlo liso é mais comum no norte de Portugal, já que permite a sua secagem mais rapidamente numa região com maior precipitação, e a de pêlo cerdoso mais comum no sul do país, uma vez que este tipo de pelagem protege melhor a pele do sol intenso que se faz sentir naquela região.

No que respeita às variedades de tamanho, estas são o resultado de uma adaptação aos tipos de terrenos e presas. Assim, o Podengo Grande está talhado para a caça grossa e para terrenos planos, tendo como principais presas os veados e os javalis. Esta é a única raça portuguesa desenvolvida com esta finalidade. O Podengo Médio actua em terrenos mais acidentados, perseguindo, matando e, até, entregando a peça, quase sempre o coelho, ao caçador. Finalmente, o Podengo Pequeno serve para entrar nas tocas e expulsar os coelhos (um pouco à imagem dos Terriers), servindo também para caçar ratos, função muito importante na altura dos Descobrimentos, uma vez que mantinham a salvo os mantimentos nas embarcações.

O Podengo Grande deu origem às variedades mais pequenas, através de um processo de miniaturização. Contudo, vários cinólogos defendem que as diferentes variedades de Podengos têm origens distintas. Alguns destes apontam o pequeno lobo ibérico como o ascendente do Podengo Médio e Pequeno.

Qualquer uma das variedades de Podengo trabalha em matilha e, não raras vezes, actuam em conjunto, assumindo as suas funções particulares e alcançando melhores resultados. Dado o seu tamanho, que os torna aptos à vida num apartamento, e ao elevado número de caçadores de coelhos, as variedades média e pequena tornaram-se as mais populares. Na verdade, o Podengo Pequeno é um cão de cidade há pelo menos três séculos, tendo sido representado nas pinturas dos pobres de Sevilha, da autoria de Bartolomé Esteban Murillo, pintor espanhol do século XVII.

O expansionismo português levou a que o Podengo tenha chegado aos quatro cantos do mundo, estando, muito provavelmente, na origem de outras raças entretanto desenvolvidas.

temperamento

A boa disposição aliada à inteligência

A inteligência e a coragem são características partilhadas pelos três tipos de Podengos, constituindo todos excelentes animais de companhia. Muito ligados à sua família, têm uma boa relação com crianças, especialmente a variedade mais pequena.

Os Podengos necessitam de muita atenção, principalmente o mais pequeno, uma vez que, como qualquer outra raça, sofrem muito com a solidão.

Sendo cães relativamente fáceis de treinar, são muito activos e os seus apurados sentidos podem levá-los a distraírem-se e a seguirem uma pista de forma obstinada, ou, dado o seu instinto caçador, a perseguirem pequenos animais, afastando-se perigosamente de casa. Por estas razões, convém ter cuidado durante os passeios. Isto não significa que não se deva proporcionar-lhes exercício físico, antes pelo contrário. Os Podengos, principalmente o Podengo Grande, necessitam de fazer muito exercício para se manterem saudáveis.

Adaptando-se tanto à vida no exterior como no interior (com a excepção do Grande), bem como a climas quentes e húmidos, o Podengo Português constitui um bom cão de guarda, alertando os donos, muitas vezes de forma exagerada, para a presença de estranhos. Este alerta é diferente do peculiar latido que emite para o resto da matilha quando está a caçar, conhecido pelos caçadores como “maticar” ou “cantar”.

A disposição alegre do Podengo Português aliada à sua capacidade de aprendizagem levaram-no até Hollywood, participando em filmes como Three Wishes, Soccer Dog e Zeus and Roxanne.

saúde

Este cão rústico é bastante saudável, uma vez que não foi sujeito aos inúmeros cruzamentos que marcaram o desenvolvimento de muitas outras raças. Com uma incidência muito baixa de doenças hereditárias, o problema que, eventualmente, mais poderá afectá-lo é a ruptura de ligamentos.

Qualquer uma das variedades de pelagem que o Podengo apresenta (lisa ou cerdosa) não tem camada de subpêlo (ou dupla pelagem), o que reduz substancialmente a quantidade de pêlos soltos espalhados pela casa, tornando os Podengos numa excelente escolha para quem é alérgico ao pêlo. Sendo de fácil manutenção, a pelagem necessita apenas de uma escovagem ocasional.

características

Curiosidades

O Podengo Português Grande é uma raça bastante rara, estando mesmo em perigo de extinção, principalmente a variedade de pêlo liso. As restrições à caça grossa em Portugal, aliadas às razões que as originaram, que se prendem com a diminuição das presas deste tipo de caça, levaram a que o Podengo Grande deixasse de ser tão procurado e que os seus exemplares se tenham vindo a reduzir desde os anos setenta. Outra razão, embora menos importante, para esta diminuição relaciona-se com a introdução de raças estrangeiras com uma mordedura mais forte, como é o caso do Dogue Argentino, e, por isso, mais eficientes na caça de grandes presas. No grupo de raças reconhecidas pelo CPC (Clube Português de Canicultura), o Podengo Grande é aquela que apresenta um menor número de registos.

partilhar
partilhar