icon openMenu
Cão Nosso - Pet Sitting

Rottweiler

FICHA TÉCNICA

HISTÓRIA

O pastor que se tornou polícia

Esta é uma das mais antigas raças de pastoreio. Quando os romanos fundaram, perto da Floresta Negra, a cidade de Arae Flaviae, trouxeram consigo vários Molossus, uma raça extinta, originária da Grécia Antiga, utlizada para o pastoreio, guarda e combate. Sucessivos cruzamentos entre o Molossus e cães locais deram origem à versão primitiva do Rottweiller.

Com o passar dos tempos, Arae Flaviae mudou de nome, passando a chamar-se Rottweill. O apuramento da raça foi evoluindo nesta cidade, que acabou por lhe dar o nome pelo qual o conhecemos hoje. Mas, inicialmente, o Rottweiler primitivo era chamado de Metzgerhund, que significa “cão do carniceiro”, uma vez que trabalhava como cão de carga na entrega de carne. Assumia esta função com a mesma dedicação com que conduzia o gado, caçava javalis e puxava veículos carregados de leite. A sua obediência aliada ao seu porte imponente levava a que, alguns comerciantes, guardassem nas suas coleiras o dinheiro que ganhavam com as suas vendas, mantendo os seus rendimentos em segurança.

Quando o governo local estabeleceu que o transporte de gado fosse feito por comboio, o Rottweiler deixou de ser tão procurado e, por consequência, a sua criação diminuiu consideravelmente. No entanto, as capacidades da raça levaram-na, em 1910, a ser escolhida para trabalhar como “cão polícia”.

À imagem do que aconteceu com muitas outras raças, as duas Guerras Mundiais afectaram o seu desenvolvimento, mas, graças a um conjunto de fieis e competentes criadores, a sua sobrevivência ficou garantida e é hoje um dos cães de guarda mais apreciados em todo o mundo.

temperamento

O guardião da família

Confiante, inteligente e destemido – eis os principais atributos do Rottweiler.

Apesar de ser um companheiro calmo e obediente, esta raça necessita de um treino firme, pois possui muita força e uma personalidade vincada. O nível de agressividade da raça está naturalmente dependente do treino que recebe, sendo absolutamente condenável incentivá-lo a atacar. O mais importante é educá-lo desde pequeno para que se torne num cão sociável para com outras pessoas e animais.

A dedicação à sua família é uma das características mais importantes desta raça. Adora acompanhar o dono para qualquer lado, ajudando-o em tudo o que puder. A relação com crianças, com quem gosta de brincar e de se divertir, é também muito positiva. A devoção com que protege a sua família é impressionante, estando disposto a protegê-la em qualquer situação. Apesar de ser um cão calmo, é extremamente alerta e hostil para com qualquer intruso, não se deixando corromper por comida nem intimidar com qualquer ameaça.

Como com qualquer raça, mas especialmente com raças como esta, que possuem uma força acima da média, é importante estudar muito bem o criador a quem se pretende adquirir um exemplar. A má criação pode originar cães fora do estalão, que denigrem a imagem da raça. Os bons criadores, muitos dos quais presentes na Escandinávia, desenvolvem Rottweileres com um temperamento amistoso.

saúde

O cancro, a displasia da anca, a epilepsia, o hipotireoidismo e as anomalias do aparelho ocular são os problemas que mais afectam o Rottweiler.

Apesar de não serem cães com uma grande necessidade de exercício físico, adaptando-se a viver num apartamento, precisam, para se manterem saudáveis e equilibrados, de actividade física diária para gastarem as suas energias e estimularem o seu cérebro.

A manutenção da pelagem não exige muitos cuidados, bastando uma escovagem semanal para remover a sujidade e os pêlos mortos.

características

Curiosidades

Orión era o nome de um Rottweiler que ficou famoso pela sua atitude heróica durante a noite de 15 para 16 de Dezembro de 1999, que ficou tristemente conhecida como “Tragédia de Vargas”.

Horas antes da tragédia, Orión começou a ficar nervoso e a ladrar, persentindo que algo de perigoso aconteceria, no entanto o dono nunca poderia adivinhar o que estaria para vir.

Foi então que, durante a noite, grandes deslizamentos de terras atingiram o Estado venezuelano de Vargas, inundando cidades e matando milhares de pessoas. Orión e o seu dono, Mauricio Pérez, conseguiram fugir de casa a tempo de ir para um lugar seguro. Mas este cão não se contentou em salvar a própria vida. Ao ver uma criança de oito anos a ser levada pelas águas turbulentas, Orión saltou para a água e salvou-a de se afogar. Fê-lo de uma forma tão suave, que as roupas da criança não tinham quaisquer marcas de dentes.

Posteriormente, saltou de novo e tirou uma jovem de 14 anos da água. A partir daí, Orión não mais descansou, ajudando oito rapazes que se encontravam juntos a subir para lugares altos e um idoso a encaminhar-se para um local seguro, entre muitas outras pessoas – no total, Orión salvou 37 pessoas de se afogarem.

Conhecido na Venezuela como “o cão valente”, Orión foi condecorado com a medalha “Honor al Valor” e com um diploma que reconheceu oficialmente o seu desempenho verdadeiramente heróico.

partilhar
partilhar